teste de intolerância alimentar

 

nós também somos o que comemos, e como somos todos diferentes, cada um necessita de uma alimentação personalizada, baseada nas suas necessidades energéticas e nutricionais.”

 

intolerância alimentar, o que é?

A intolerância alimentar é uma resposta adversa e retardada do organismo à ingestão de determinados alimentos, sendo normalmente, lenta, silenciosa e sem manifestações visíveis e imediatas após a ingestão desses alimentos. Os sintomas podem levar desde horas até dias a aparecerem, o que dificilmente leva a uma associação de causa-efeito. Apesar de não envolver uma resposta do sistema imunológico como acontece com a alergia alimentar, a resposta do organismo aos processos de Intolerância podem com o passar do tempo resultar em inflamações crónicas e transformar-se em doenças debilitantes que afetam a saúde e a qualidade de vida do ser humano.

 

é diferente de alergia alimentar!

Por sua vez, a alergia alimentar é considerada uma reação de “hipersensibilidade” e consiste numa resposta imediata e enérgica do sistema imunitário à ingestão de certos alimentos que são tidos como potencialmente perigosos para o organismo. Normalmente sabemos quando somos alérgicos a um alimento, tal é a evidência e rapidez da reação que a ingestão desse alimento nos causa.

 

teste de intolerância

Este teste tem por base a frequência energética / vibracional de cada alimento, a qual varia de alimento para alimento. O equipamento tem incorporadas as frequências de cerca de 500 alimentos que, através de um processo não invasivo, analisa o nível de compatibilidade do organismo com estes alimentos, identificando no final as tolerâncias e intolerâncias da pessoa relativamente aos mesmos.

Identificam-se os alimentos cujo consumo se deve eliminar da alimentação procurando-se outros substitutos, os alimentos que se deve diminuir o seu consumo, os alimentos que podem ser consumidos mas de forma moderada e aqueles que poderão ser consumidos mais frequentemente podendo nalguns casos reforçar-se o seu consumo.

Reequilibrando a alimentação com os dados obtidos e eliminando os alimentos aos quais há intolerância, criam-se condições para que as mais diversas patologias deixem de se manifestar e se passe a ser mais saudável!

 

intolerância alimentar, porquê?

Os principais motivos para a existência de intolerância alimentar a determinado alimento são:

  • a carência das enzimas necessárias para a digestão de um alimento ou componente de um alimento, o que faz com que o organismo não consiga absorver os nutrientes de que necessita durante o processo digestivo;
  • a ingestão excessiva e continuada de um alimento num determinado período de tempo pode levar a uma saturação do organismo e consequente desenvolvimento de processos de intolerância.

Eliminando os alimentos identificados no teste como “intolerados” pelo organismo, poderá o mesmo repetir-se após 3 meses, para verificar a evolução das intolerâncias detetadas inicialmente, uma vez que é frequente, após este período de tempo, o organismo passar a “aceitar” alguns dos alimentos aos quais era intolerante.

 

patologias mais frequentes

As manifestações de intolerância alimentar podem envolver qualquer sistema do nosso organismo, sendo as mais frequentes:

  • depressão
  • obesidade
  • ansiedade
  • irritabilidade
  • enfartamento
  • fadiga crónica
  • retenção de líquidos
  • inflamações articulares
  • obstipação
  • diarreia
  • flatulência
  • cólicas
  • inflamações intestinais
  • urticária
  • eczema
  • acne
  • comichão
  • doenças de pele
  • enxaqueca
  • vertigem
  • náuseas
  • distúrbios visuais
  • asma
  • rinite
  • tosse
  • espirros
  • síndrome de cólon irritável

 

acompanhamento pós teste

Com o objetivo de compreender a causa da patologia e facilitar a reestruturação alimentar, propõe-se um acompanhamento mensal de acordo com as necessidades do paciente.

 

nota: este sistema de diagnóstico é reconhecido pela União Europeia tendo recebido 3 Certificados de Qualidade ISO, podendo ser utilizado por todos (grávidas e bebés incluídos) excetuando-se apenas os utilizadores de pacemaker.

Back to Top